quarta-feira, 25 de maio de 2016

Só a pressão constante da classe trabalhadora pode garantir a manutenção de direitos e de avanços fundamentais ao Brasil

Só a pressão constante da classe trabalhadora pode garantir a manutenção de direitos, da democracia e de avanços fundamentais ao Brasil
À medida que passam os dias, o governo interino de Michel Temer mostra um apetite cada vez maior por medidas que retiram direitos e impõem arrocho à classe trabalhadora. Se escondendo na crise econômica, as propostas atacam e atingem apenas a maioria da população para garantir que uma minoria privilegiada continue lucrando a partir do sacrifício de muitos. Entre as propostas anunciadas hoje há sinalizações claras para enfraquecer desde bancos públicos a limitar e restringir todo e qualquer investimento nos serviços públicos essenciais, incluindo saúde, educação, previdência e tantos outros. 
Para combater toda e qualquer tentativa de retirada de direitos e imposição de retrocesso ao desenvolvimento de nossa economia com garantia de justiça social só há um remédio: a pressão constante da classe trabalhadora. É por meio de nossa luta que vamos garantir que a tentativa de impor um programa de governo que não obteve sequer um voto seja derrotada.
Leia mais...

terça-feira, 24 de maio de 2016

Condsef vai debater conjuntura política e definir como maioria do Executivo deve agir diante desse cenário incerto

Nessa quarta, 25, CDE vai debater conjuntura política e definir como maioria do Executivo deve agir diante desse cenário incerto
O Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) da Condsef vai se reunir nessa quarta-feira, 25, na sede da Condsef em Brasília. Um dos objetivos centrais deve ser promover uma análise profunda da conjuntura política atual que provoca grande instabilidade e traz enormes incertezas para toda a classe trabalhadora. 
Com o afastamento anunciado hoje pelo então ministro do Planejamento, Romero Jucá, novas dúvidas surgem no cenário. Reações de diversos movimentos da sociedade civil organizada e cidadãos contrários a este governo interino estão acontecendo diariamente pelo país. Não é possível ignorar os efeitos negativos desse momento para todos os brasileiros. Servidores também têm promovido reações.
Leia mais...

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Conad propõe a redução do reajuste da Geap para 20%

Conad propõe a redução do reajuste da Geap para 20%

Neste final de semana, numa reunião sobre a redução do reajuste de 37,5% imposto pela Geap, o Conselho de Administração (Conad) se comprometeu a implantar um valor de cerca de 20%, que está baseado em índice de inflação médica. Como condicionante, o conselho solicitou que todas as entidades retirem ações na justiça contra reajuste do plano. 
Dessa forma, o novo percentual passaria a valer a todos os beneficiários do plano e não apenas aos que forem acobertados por ganhos em ações judiciais. Além da Condsef estavam na reunião representantes da Fenasps, Fasubra, Anasps e outras. 
A próxima reunião do Conad está agendada para o dia 10 de junho que é quando as entidades devem dar um retorno ao Conad a respeito do acordo que envolve o reajuste da Geap.

Servidores federais, estaduais, municipais e de estatais se juntam pelo fortalecimento do serviço público

Servidores federais, estaduais, municipais e de estatais se juntam pelo fortalecimento do serviço público e contra qualquer retrocesso dos direitos adquiridos
Representantes de servidores federais, estaduais, municipais e de estatais se reuniram em Brasília em um encontro convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). A atividade histórica em torno da discussão da complexa conjuntura atual unifica e mobiliza a luta em defesa do serviço público. No encontro foram debatidas estratégias e ações concretas para reagir aos ataques sofridos pela classe trabalhadora em menos de uma semana do governo interino de Michel Temer. 
Além de debater o momento político do País que traz muitas incertezas, os servidores reforçam a urgência de se unir contra uma pauta de retrocessos com risco de avançar no Congresso Nacional que ameaçam direitos de todos os trabalhadores. Uma frente parlamentar mista em defesa dos trabalhadores foi lançada ontem no Senado com a participação de 197 deputados e 42 senadores. Para organizar sua base e enfrentar o período conturbado, a Condsef está convocando uma plenária nacional da maioria dos servidores do Executivo para o dia 10 de junho.
Leia mais...

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Condsef faz reunião extraordinária e participa no Senado de lançamento de uma frente parlamentar em defesa dos trabalhadores
 
 A Direção Executiva da Condsef promoveu uma reunião extraordinária nesta quarta-feira para debater a complexa conjuntura política e econômica que mistura incertezas a ações preocupantes que estão sendo encampadas pelo presidente interino, Michel Temer, e sua equipe de ministros. A direção da Condsef não entende como legítimas essas medidas uma vez que estão sendo adotadas em um período onde a presidente segue sendo Dilma Rousseff até que o processo que analisa seu impedimento seja concluído no Senado. Como presidente interino é dever de Temer encaminhar as políticas propostas no programa de governo escolhido pela maioria dos eleitores em 2014. O programa “Uma ponte para o futuro” em nada representa o projeto escolhido pela maioria da população para ser conduzido por mais 4 anos. O rompimento com o processo democrático já tem mostrado seus reveses e o setor público, mais uma vez, é alvo preferencial.

Frente parlamentar em defesa dos trabalhadores
Ontem a Condsef também participou no Senado do lançamento de uma frente parlamentar mista em defesa dos trabalhadores. 197 deputados e 42 senadores integram a frente criada com objetivo de evitar a aprovação de propostas que limitem, reduzam ou acabem com direitos legalmente assegurados aos trabalhadores brasileiros. De acordo com o Diap que monitora esses projetos, pelo menos 55 projetos em análise no Congresso representam ameaça aos trabalhadores. Uma das mais recentes é o PLP 257/16 que os servidores pressionam para que seja retirado da pauta.

Leia mais:  http://www.condsef.org.br/inicial/7278-2016-05-19-03-07-42

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Servidores do extinto MDA e do Incra estão descontentes com a política do Governo Temer

Servidores do MDA e do Incra alertam:

70 milhões de brasileiros devem ser prejudicados com fim do MDA e alterações em atribuições do Incra

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) foi extinto pelo Governo Mitchel Temer

Toda a população rural brasileira – que pode chegar a 70 milhões de pessoas – deverá ser afetada direta ou indiretamente pela equivocada decisão do presidente interino da República, Michel Temer, em extinguir o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e retirar importantes atribuições do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). 
Se for levado em conta ainda que a maior parte dos alimentos que chega à mesa do brasileiro é produzida em assentamentos do Incra e por agricultores familiares atendidos pelo MDA, a decisão de Temer prejudica toda a população do Brasil. Sem as políticas nessas áreas há forte possibilidade de que a produção caia na mesma proporção à qualidade e diversidade dos gêneros alimentícios consumidos no país. 
Esses são alertas feitos por servidores públicos do Incra e do MDA reunidos no encontro nacional da categoria que ocorreu na última sexta-feira, 13, em Brasília. Condsef e Cnasi - Associação Nacional produziram texto (leia a íntegra aqui) onde criticam as decisões arbitrárias sem o devido debate com os trabalhadores e com a sociedade atendida pelas políticas públicas que serão afetadas.
Leia mais...

terça-feira, 17 de maio de 2016

Condsef é contra a Reforma da Previdência em momento de incerteza política

Condsef proclama: 
Centrais sem representatividade negociam proposta para nova Reforma da Previdência em momento de incerteza política


 
Sem representar o conjunto dos trabalhadores dos setores público e privado, algumas centrais sindicais, entre elas a Força Sindical, concordaram em fazer parte de uma comissão que terá até 30 dias para elaborar uma proposta de Reforma da Previdência. Por mais absurdo que pareça, a negociação ocorre em um momento de incerteza política, durante um governo de um presidente que assume apenas de forma interina, enquanto a ainda presidente Dilma Rousseff aguarda julgamento de um processo de impeachment admitido pelo Senado. 
Para a Condsef é um absurdo que uma negociação que deve envolver a retirada de direitos de milhões de trabalhadores ocorre à sombra de um governo provisório e considerado ilegítimo por diversos segmentos da sociedade civil organizada nacional e internacional, partidos políticos também nacionais e internacionais e países inteiros como já é o caso do Uruguai, El Salvador, Venezuela e outros que vem manifestando preocupação com o que ocorre no Brasil. 

Leia mais: http://www.condsef.org.br/inicial/7275-2016-05-16-21-58-01

sábado, 14 de maio de 2016

Incra comemora seus 45 anos de vida útil

INCRA COMEMORA SEUS 45 ANOS DE VIDA ÚTIL


O presidente do Sindsep Roraima, Gilberto Rosas, participou na manhã dessa sexta-feira (13/05) de uma solenidade de comemoração dos 45 anos do Incra. A confraternização ocorreu no Auditório da nova sede do órgão, ainda inacabada, localizada no bairro 13 de Setembro.
Vários servidores discursaram, antes do repasto do café da manhã, e todos se mostraram preocupados com o andamento do trabalho de reforma agrária a ser desenvolvido pelo órgão no Governo Michel Temer. 


Novo superintendente do Incra/RR
Quanto ao boato de que o novo superintendente do Incra/RR possa vir a ser o ex-deputado Márcio Junqueira, os servidores do órgão se manifestaram publicamente revoltados e indignados com essa possibilidade.
Inclusive, um deles resumiu o ânimo de todos: "Se isso vier a acontecer só nos resta lutar ou virar as costas e ir pra casa. Não vamos aceitar essa afronta à nossa instituição."



Maioria dos empregados da Ebserh rejeita proposta da empresa para ACT 2016/2017

Maioria dos empregados da Ebserh rejeita proposta da empresa para Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2016/2017
Os empregados da Ebserh decidiram por maioria não aceitar a proposta da empresa para o ACT 2016/2017 que traz, entre outras questões, índice de 5,5% de reajuste. A Condsef levou a decisão da categoria à direção da Ebserh e solicitou que a empresa avaliasse a apresentação de outro índice que pudesse ser debatido com os empregados. Para a categoria o índice está muito abaixo da inflação e sequer repõe perdas. 
A empresa respondeu que neste cenário de transição de gestão e bastante incerto não há espaço para estudar hipóteses e apresentar um novo índice. Ainda segundo os representantes da Ebserh, dessa forma os demais pontos da proposta apresentada também não poderão ser atendidos. Assim, por enquanto, conforme já acordado, segue valendo o ACT vigente.
Leia mais...

Servidores recebem novo ministro da Educação e Cultura com protesto

Servidores recebem novo ministro da Educação e Cultura com protesto

Um protesto espontâneo de servidores do Ministério da Cultura, incorporado ao Ministério da Educação pelo presidente interino Michel Temer, marcou o pronunciamento do novo ministro da pasta, Mendonça Filho. Veja o vídeo. Segundo a categoria, o movimento foi conduzido por servidores de carreira, inseguros com os efeitos perversos das políticas públicas que estão sendo defendidas por esse governo. 

Não é apenas no Ministério da Educação e Cultura que esse mal estar está sendo gerado. A decisão de atrelar a Controladoria Geral da União (CGU) à Presidência retirando dela autonomia, incorporações que envolvem o Ministério da Agricultura, Incra, Desenvolvimento Agrário, Ciência e Tecnologia, Previdência, e outros, estão mexendo com os ânimos. 

Muitos estão questionando o sentido dessas mudanças publicadas na medida provisória (MP 726/2016) que já está sendo analisada pelas assessorias técnicas da Condsef.

Leia mais: http://www.condsef.org.br/inicial/7274-2016-05-13-23-36-30