terça-feira, 25 de abril de 2017

Governo deve pagar em junho valores de incorporação de gratificação na aposentadoria

Governo deve pagar em junho valores de incorporação de gratificação na aposentadoria para quem já assinou termo de opção
 

Planejamento informou Condsef/Fenadsef que setor de tecnologia ainda trabalha para garantir que sistema que calcula os valores da aposentadoria a partir de nova regra fique pronto

Servidores que já assinaram termo de opção que garante nova regra para contagem de gratificação para fins de aposentadoria terão que esperar junho para receber os valores atualizados. Essa foi a nova previsão dada pelo Ministério do Planejamento para que os pagamentos com novos valores sejam liberados. Segundo o ministério, o setor de tecnologia responsável pelo sistema que efetuará os cálculos desses novos valores ainda não conseguiu resolver situações técnicas, entre elas a parametização que seria o encontro das diferentes situações dos diversos setores da administração pública, necessários para aplicação das novas regras e liberação dos pagamentos. Hoje, o Planejamento informou a Condsef/Fenadsef que a nova previsão para que esse pagamento ocorra é no mês de junho, referente ao contracheque de maio.

 Leia mais: www.condsef.org.br

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Governo quer urgência nas reformas e trabalhador precisa reagir

Governo quer urgência nas reformas e trabalhador precisa reagir 

Um dia depois de os deputados federais terem derrotado o pedido de urgência na tramitação da reforma trabalhista, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), incorporou o estilo Eduardo Cunha – ex-presidente da Câmara – e deu um golpe, recolocando o mesmo projeto na votação. Inexplicavelmente, de um dia para o outro, 57 deputados mudaram de opinião e votaram a favor. Na primeira votação foram 230 votos favoráveis e 163 contrários. Na segunda votação, foram 287 a favor e 144 contra. Para ser aprovada, a urgência precisava de 257 votos.

Leia mais: www.condsef.org.br

Outras fotos da Reunião da Frente Sindical e Popular na Universidade Estadual de Roraima

OUTRAS FOTOS DA REUNIÃO DA FRENTE SINDICAL E POPULAR NO AUDITÓRIO DA UERR
Reunião da Frente Sindical e Popular no Auditório da UERR no dia 20 de abril

Muitos sindicalista fizeram discursos sobre a importância da união da classe trabalhadora na greve do dia 28 de abril contra a Reforma da Previdência. Em síntese todos querem o arquivamento definitivo da Pec 287/16. 

O recado deles para a população roraimense e brasileira é um só: "Reaja agora ou morra trabalhando!" Simples assim, porque se o Congresso Nacional aprovar a Pec 287, a "Pec da Morte", a tão sonhada aposentadoria só será possível depois de morto...

Assim sendo, minha gente, vamos todos pra rua dizer "Não a Pec da Reforma da Aposentadoria", antes que seja tarde demais. "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer..."

Frente Sindical e Popular define programação da greve geral do dia 28

FRENTE SINDICAL E POPULAR DEFINE PROGRAMAÇÃO DA GREVE GERAL DO DIA 28

"Unidos jamais seremos vencidos". Esse era o clima da reunião da Frente Sindical e Popular de Luta contra a Pec 287/16, a Pec da Reforma da Previdência, na reunião que ocorreu ontem à noite (20/04) no Auditório da Universidade Estadual de Roraima (UERR). O presidente do Sindsep Roraima, José Carlos de Oliveira Gibim, estava lá, além de outros diretores da entidade sindical.

A pauta da reunião foi a amarração definitiva das ações estratégicas para a greve geral que vai ocorrer em Boa Vista e em todo território nacional, no próximo dia 28, em repúdio a Reforma da Previdência proposta pelo Governo Temer. Reforma essa que não beneficia em nada a população brasileira, ao contrário, só retira direitos dos trabalhadores conquistados ao longo de muitos anos de luta e sacrifício. 

Participaram da reunião muitos presidentes de sindicatos, representantes de movimentos sociais, entre outros.
 Viva a democracia! Viva a cidadania!



quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pressão dos trabalhadores faz governo recuar e sofrer derrota na Câmara dos Deputados

Pressão dos trabalhadores faz governo recuar e sofrer derrota na Câmara dos Deputados

 As várias mobilizações de rua promovidas pelos movimentos sociais nos últimos meses, somadas à reação da população às reformas que retiram direitos da classe trabalhadora e a alta impopularidade de Michel Temer, têm feito o governo recuar e já começar a perder apoio no Congresso Nacional.

Na última terça-feira, depois de policiais civis, rodoviários e federais de vários estados e do Distrito Federal ocuparem o Congresso Nacional contra a reforma da Previdência, no plenário da Câmara dos Deputados o governo não conseguiu aprovar o regime de urgência para votar a reforma trabalhista. Ele precisava de 257 votos, mas apenas 230 deputados foram a favor da urgência, contra 163 contrários.

A greve geral do dia 28 vai mostrar o poder de fogo da classe trabalhadora. Por isso, vamos cruzar os braços e dizer que não aceitamos nenhum direito a menos. Ou param as reformas ou paramos o Brasil.

Leia mais: www.condsef.org.br

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sindsep participa de Audiência Pública no Congresso Nacional

PRESIDENTE DO SINDSEP PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NO CONGRESSO NACIONAL SOBRE A MP 765/16

Nesta terça-feira (18/04), aconteceu uma Audiência Pública no Congresso Nacional, sobre a MP 765/16, que trata da alteração das estruturas remuneratórias de várias carreiras de servidores públicos federais e de servidores dos ex-Territórios de Roraima, Amapá e Rondônia. Os sindicalistas apresentaram emendas à referida emenda, com o objetivo de corrigir distorções na regulamentação da Emenda Constitucional 79/14.
A audiência teve o deputado federal por Roraima, Hiran Gonçalves, como presidente da Comissão Mista da Câmara e do Senado, e o senador Fernando Bezerra como relator. Contou com a participação de vários parlamentares e sindicalistas de todo Brasil. O Ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, também marcou presença. Ele disse que o governo quer aprovar a MP 765 como foi apresentada, contudo sinalizou com a possibilidade de aceitar algumas emendas caso não tenha nenhum impacto financeiro para a União.
O Sindsep-RR participou do encontro com três representantes: o presidente da entidade, José Carlos de Oliveira Gibim, e os servidores públicos federais Lucinete Dantas Aquino e Antonio Pereira da Silva, que retornaram hoje mesmo. Na semana passada Gibim já tinha participado de uma reunião prévia para a Audiência Pública a convite do próprio relator da MP 765, senador Fernando Bezerra. Agora os sindicalistas esperam pelo relatório da audiência, que posteriormente será votado em plenário.
Gibim esclareceu que a finalidade da audiência foi para apresentar e defender emendas à MP 765, para corrigir distorções na regulamentação da EC 79/14, que poderá beneficiar profissionais da Educação (enquadramento no EBTT), da Secretaria de Segurança Pública, fiscais de tributos, técnicos e analistas de Planejamento e Orçamento, lotados na Secretaria de Planejamento dos ex-Territórios.

(Foto 1 - Presidente do Sindsep-RR, José Carlos de Oliveira Gibim; foto 2 - servidora Lucinete Dantas Aquino; foto 3 - servidor Antonio Pereira da Silva)

Servidores da Funai antecipam greve geral do dia 28

Ocupações em prédios públicos e protestos na Funai antecipam greve geral do dia 28 

 

Faltando dez dias para a greve geral da classe trabalhadora, os movimentos sociais iniciam uma série de mobilizações como antecipação do 28 de abril. Esta semana, os trabalhadores rurais estão ocupando órgãos públicos, como as sedes do Incra, dentro da programação do Abril Vermelho. Já são oito superintendências do instituto ocupadas. Os agricultores se juntam aos trabalhadores da cidade para protestar contra as reformas do governo federal que retiram direitos trabalhistas.
Leia mais...

terça-feira, 18 de abril de 2017

Jornal Nacional acusa CUT e nega direito de resposta

Jornal Nacional acusa CUT de ter recebido propina da Odebrecht nega direito de resposta

Na última sexta-feira, 14 de abril, o Jornal Nacional, da TV Globo, publicou matéria acusando a CUT de ter recebido propina da Odebrecht para desmobilizar a luta dos trabalhadores da construção civil em Rondônia. A acusação foi feita de forma aleatória, sem citar nomes nem datas da suposta propina, o que coloca em cheque a veracidade da notícia. Em resposta, a CUT enviou nota à emissora, a qual foi ignorada e sequer lida no Jornal Nacional, ferindo o Código de Ética dos Jornalistas, que preza pelo direito de resposta e por ouvir todos os lados da notícia.

Leia mais: www.condsef.org.br

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Sindsep-RR vai a Brasília defender emendas da MP 765/16

SINDSEP VAI À BRASÍLIA DEFENDER EMENDAS DA MP 765 EM AUDIÊNCIA PÚBLICA NO CONGRESSO NACIONAL

Presidente do Sindsep-RR, José Carlos de Oliveira Gibim

O Sindsep Roraima vai à Brasília participar da Audiência Pública que será realizada amanhã (18/04) no Congresso Nacional, sob a coordenação de uma Comissão Mista da Câmara e do Senado Federal. O objetivo é defender as emendas da MP 765/16, que trata da alteração das estruturas remuneratórias de várias carreiras de servidores públicos federais e servidores dos ex-Territórios de Roraima, Amapá e Rondônia.
O Sindsep-RR será representado pelo presidente da entidade, José Carlos de Oliveira Gibim, e os servidores públicos federais Lucinete Dantas Aquino e Antonio Pereira da Silva, que viajam hoje para Brasília e retornam na quarta-feira. Na semana passada Gibim participou da reunião prévia para a Audiência Pública como integrante do Fórum Sindical do Amapá, Rondônia e Roraima, a convite do próprio relator da MP 765, senador Fernando Bezerra.

Gibim enfatizou que a finalidade da audiência é corrigir distorções na regulamentação da Emenda Constitucional 79/14. Se aprovadas as emendas apresentadas pelos sindicalistas, serão beneficiados profissionais da Educação (enquadramento no EBTT), da Secretaria de Segurança Pública, fiscais de tributos, técnicos e analistas de Planejamento e Orçamento, lotados na Secretaria de Planejamento dos ex-Territórios.
Servidora Lucinete Dantas Aquino
Servidor Antonio Pereira da Silva

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Frente Sindical e Popular se reúne para definir ações da greve do dia 28 de abril

BOA VISTA (RR): FRENTE SINDICAL E POPULAR SE REÚNE PARA DEFINIR AÇÕES DA GREVE DO DIA 28 DE ABRIL


Se depender da Frente Sindical e Popular de Luta contra a Pec da Reforma da Previdência, Boa Vista vai parar no dia 28 de abril. Isso é o que ficou evidente na reunião realizada na tarde desta quarta-feira (12/04) no Auditório do Senar, no bairro São Francisco. Muitas ações estão sendo programadas, em diversas partes da cidade, com o objetivo de parar na cidade em protesto a Reforma da Previdência proposta pelo Governo Michel Temer. 

No próximo dia 20 de abril, ocorrerá outra reunião da Frente Sindical e Popular, no mesmo local, com o objetivo de amarrar os últimos preparativos do movimento paredista do dia 28 de abril. Ressalto que esta mobilização está acontecendo em todo Brasil e cada dia ganha mais adepto nessa luta em defesa dos direitos dos trabalhadores brasileiros.

O presidente do Sindsep Roraima, José Carlos Oliveira Gibim, acompanhado de alguns diretores da entidade, participou ativamente da mesa de debates da Frente Sindical e Popular.