sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Fonasefe tem reunião ampliada confirmada para dia 17 de fevereiro

Fonasefe tem reunião ampliada confirmada para dia 17 de fevereiro




Representantes do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Federais (Fonasefe) realizaram a primeira reunião do ano ontem, 16, na sede da Condsef/Fenadsef, em Brasília, e apontaram calendário de atividades unificadas para fevereiro. Uma reunião ampliada foi confirmada para o dia 17 do próximo mês. Na ocasião devem ser definidas demandas e ações comuns ao conjunto dos servidores federais para que sejam levadas ao governo com objetivo de buscar avanços para o setor público. As entidades também discutem ações para se juntar a toda classe trabalhadora contra a reforma da Previdência que prevê um regime de capitalização implantado no Chile em 1981, com a ajuda do atual ministro da Economia, Paulo Guedes. Lá, o modelo fracassou e a proposta está sendo revisada. 

O sistema promoveu uma grande discrepância entre salários de ativos e aposentados, que passaram a acumular grandes dívidas. Na terça, 15, oito centrais sindicais (CSB, CTB,CUT, Força Sindical, Nova Central, CSP - Conlutas, Intersindical e CGTB) se reuniram e divulgaram orientação reafirmando posição contrária a qualquer proposta de reforma que fragilize, desmonte ou reduza o papel da Previdência Social Pública. O Fonasefe deve encaminhar representante para participar da “Plenária Unitária das Centrais em defesa da Previdência e contra o fim da aposentadoria” que as centrais convocaram para o dia 20 de fevereiro. 

Fonte: https://www.condsef.org.br/…/fonasefe-tem-reuniao-ampliada-…

Contra a Reforma da Previdência proposta por Paulo Guedes

Contra a Reforma da Previdência proposta por Paulo Guedes



Toda classe trabalhadora deve estar atenta a proposta de reforma da Previdência que está sendo gestada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Implantado no Chile em 1981, com a ajuda de Guedes, o modelo que inclui um regime de capitalização está sendo revisado naquele país. Vale destacar que militares já tem feito pressão para que não sejam incluídos no pacote de mudanças.

O sistema promoveu uma grande discrepância entre salários de ativos e aposentados no Chile que passaram a acumular grandes dívidas. Há relatos por lá do aumento do número de suicídios entre idosos. Uma calamidade social que podemos evitar com nossa mobilização e luta.

#ContraAREformaDaPrevidência #DireitosHumanos #QueroAposentadoriaDigna

Fonte: https://www.facebook.com/condsef/

Ato público contra a proposta de Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro

Ato público contra a proposta de Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro


 



O Sindsep Roraima participou no final da tarde desta quinta-feira (17/01/19) do Ato Público organizado pela Frente Sindical, Popular e de Lutas/RR, ocorrido na Praça do Centro Cívico, a partir das 16 horas.

A Frente Sindical, com a participação da CUT/RR, entre outras entidades sindicais, realizou um protesto contra a Reforma da Previdência, como está sendo proposta, e contra a retirada de direitos dos trabalhadores, idealizada pelo Governo Bolsonaro. 

Para o presidente do Sindsep-RR, José Carlos de Oliveira Gibim, essa reforma como está prevista prejudica os trabalhadores e favorece a classe empresarial. Gibim deixa claro que não é contra a reforma e sim da forma como ela está sendo conduzida.





quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Hoje tem Ato Público em Boa Vista, Roraima

HOJE TEM ATO PÚBLICO NO CENTRO CÍVICO



Atenção servidores públicos federais!
O Sindsep Roraima vai participar do Ato Público que será realizado hoje, pela Frente Sindical, Popular e de Lutas/RR, na Praça do Centro Cívico, a partir das 16 horas. 


O protesto é contra a Reforma da Previdência, como está proposta, e contra a retirada de direitos dos trabalhadores, que está sendo processada pelo Governo Federal. 

José Carlos de Oliveira Gibim
Presidente do Sindsep-RR

Valec pode impulsionar infraestrutura e alavancar economia brasileira

Valec pode impulsionar infraestrutura e alavancar economia brasileira



Procurados pela Condsef/Fenadsef que representa os empregados da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., técnicos ferroviários apontam motivos pelos quais seria um péssimo negócio para o País abrir mão dessa empresa pública. A Valec possui um corpo técnico de carreira de alta qualificação e capacitação que chama a atenção para o imenso potencial da empresa. A Valec tem por lei atribuições e competências que podem impulsionar a economia brasileira e dinamizar a infraestrutura diminuindo consideravelmente o chamado “Custo Brasil”.

O “Custo Brasil” é a denominação que se dá aos custos de produção ou despesas que tornam desvantajoso a exportação de produtos brasileiros para o mercado internacional ou tornam difícil ao produtor nacional competir com produtos importados. Por sermos um País de dimensões continentais ainda muito dependentes de uma malha rodoviária, a diversificação de meios de transportar o que é produzido no Brasil é tema essencial para quem quer encontrar formas de melhorar nossa economia. Para vários especialistas, com investimento em seu potencial produtivo, a Valec não só seria capaz de arcar com o custeio de sua estrutura com recurso próprio como seria fonte de lucro, além de poder investir na infraestrutura do Brasil. 

Leia mais: https://www.condsef.org.br/…/valec-pode-impulsionar-infraes…

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Apontada para março plenária nacional da maioria dos servidores federais

Apontada para março plenária nacional da maioria dos servidores federais


Em meio a anúncios e mudanças dos primeiros dias de governo Bolsonaro que afetam bastante o setor público, a direção Executiva da Condsef/Fenadsef promoveu a primeira reunião desse ano nessa terça, na seda da entidade.
Com plenária de sua base apontada para março, será eleita a pauta prioritária da maioria dos servidores federais. A entidade vai solicitar uma reunião com o novo secretário de Gestão do governo Bolsonaro, nomeado na semana passada, Wagner Lenhart.
Objetivo será buscar um canal de diálogo para retomar negociações buscando cumprimento de pautas ainda pendentes e demandas centrais para melhorar a administração pública e com isso os serviços prestados à população.

Sindsep Roraima convoca diretoria para ato público

CONVOCAÇÃO DA DIRETORIA DO SINDSEP-RR PARA ATO PÚBLICO


Convoco a Diretoria Executiva do Sindsep-RR para se fazer presente no Ato Público que será realizado pela Frente Sindical de Roraima, no dia 17 de janeiro (quinta-feira), às 16 horas, na Praça do Centro Cívico. Objetivo do Ato: Repudiar os 17 dias de retrocessos e ataques contra os direitos da classe trabalhadora.

José Carlos de Oliveira Gibim
Presidente do Sindsep-RR

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Reforma tributária progressiva X Teto dos Gastos Públicos

Reforma tributária progressiva X Teto dos Gastos Públicos



Uma reforma tributária progressiva, incluindo uma alíquota sobre a renda da pessoa física de 35% para rendas muito altas e a progressiva taxação de lucros e dividendos geraria R$ 72 bilhões e reduziria a desigualdade em 4,31%. Junto com outras medidas, a reforma tributária contribuiria para o crescimento da economia sem a necessidade do Teto dos Gastos Públicos, que ataca os direitos humanos.

#RevogaOTeto #InvestirParaCrescer #ReformaTributária #DireitosHumanos

Executiva da Condsef/Fenadsef debate primeiros dias de Governo Bolsonaro

Executiva da Condsef/Fenadsef debate primeiros dias de Governo Bolsonaro



A Condsef/Fenadsef promove a primeira reunião do ano de sua Direção Executiva nessa terça-feira, 15. Objetivo central será promover um balanço dos primeiros dias de governo Bolsonaro. Muitas mudanças no setor público já foram anunciadas como a extinção de ministérios que conduzem importantes políticas públicas, incluindo Cultura, Esportes e o histórico Ministério do Trabalho que foi desmembrado. Além disso, mudanças nas atribuições da Funai, alterações no Meio Ambiente, ameaças de demissão nas estatais. O cenário no setor público é de incertezas. 

A entidade deve apontar data para uma plenária nacional de sua base. Objetivo é reunir as principais demandas do setor público e encaminhá-las ao novo secretário de Gestão de Pessoas, Wagner Lenhart. Lenhart foi nomeado na semana passada como novo interlocutor do governo Bolsonaro com servidores. 

Outro tema no centro dos debates é o combate a uma reforma da Previdência que retira direitos e não ataca privilégios como faz pensar os articuladores da proposta. O ministro da Economia de Bolsonaro, Paulo Guedes, admitiu que a reforma prevê um regime de capitalização. O modelo é polêmico e no Chile tem gerado graves problemas sociais.

Leia mais: https://www.condsef.org.br/…/executiva-condsef-fenadsef-deb…

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Livros abordam histórias indígenas ambientados em Roraima

LITERATURA RORAIMENSE

Livros abordam histórias indígenas ambientados em Roraima

 
José Vilela publica mais dois livros com temática indígena, ambientados em Roraima 
 
Por Raisa Carvalho
Folha de Boa Vista (14/01/2019 às 08:22)
 
 
O escritor mato-grossense José Vilela, radicado em Roraima há mais de 20 anos, autor de “O Guru da Floresta” e “Rapadura é doce, mas não é mole”, publicou recentemente mais dois livros: Índios em luta pela vida e Moama, ambos com temática indígena e ambientado na Terra de Makunaima.
Segundo Vilela, que é jornalista, Índios em luta pela vida é uma versão compacta do livro Xununu Tamu – uma saga indígena, publicado em 1998, pelo Governo de Mato Grosso, através da Lei de Incentivo à Cultura. Por sua vez, Moama é um romance infanto-juvenil inspirado num conto indígena, que narra a história de três adolescentes, que disputam o amor de uma jovem de origem portuguesa. 

Quem faz a apresentação do livro Índios em luta pela vida é o professor da UFRR, Devair Fiorotti. Lá ele diz que o livro de “José Vilela é mais do que nunca uma obra necessária. Sim, necessária. Apesar de Roraima ser o estado mais indígena, proporcionalmente falando, a relação entre não indígenas e indígenas foi e ainda continua desastrosa. O estereótipo e a falta de informação ainda prevalecem na grande maioria dos roraimenses”.
Por outro lado, na apresentação de Moama, a professora Gracinara da Silva Teixeira, que é mestre em Letras, elogiou a linguagem e o conteúdo histórico da obra. E no seu texto ela comentou enfática: “Como é possível escrever uma narrativa triste – como todo genocídio é – com a leveza de quem escreve um poema? Pois é isso que José Vilela conseguiu realizar de maneira espetacular”. 

Outras obras
Atualmente Vilela tem quatro obras disponíveis na Banca de Revista Playboy, localizada no centro de Boa Vista: Índios em luta pela vida (publicação da Chiado Books), Moama (Edição do Autor), O Guru da Floresta (Entrelinhas Editora) e O Profeta da Indignação (Edição do Autor).  Contatos com o autor pelo WhatsApp 99904.7379.