sábado, 18 de fevereiro de 2017

Ações contra PEC da Reforma da Previdência devem se intensificar

Ações contra PEC da Reforma da Previdência devem se intensificar
Condsef/Fenadsef integra frente de entidades contra PEC que quer retirar direitos da classe trabalhadora sem atacar problemas do sistema previdenciário brasileiro. Ignorar mais de R$400 bi devidos por empresas é apenas um desses problemas
As ações contra a PEC 287/16, proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer, que mexem com o direito de aposentadoria de milhões de brasileiros, devem se intensificar nos próximos meses. Audiências públicas já estão acontecendo na Câmara dos Deputados convocadas pela Comissão Especial criada para tratar o tema. A CUT deve participar de outras audiências na próxima semana. Um trabalho de força tarefa no Congresso Nacional está previsto para acontecer no dia 22 e seguir ao longo das próximas semanas. Uma equipe de técnicos competentes já está debruçada sobre o tema e deve subsidiar o movimento sindical com toda informação necessária para rebater argumentos que estão sendo usados para defender uma reforma da Previdência que retira direitos, massacra o trabalhador e não resolve o real problema do sistema previdenciário brasileiro.
Fonte: www.condsef.org.br

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

FRENTE SINDICAL E POPULAR DE LUTA CONTRA A PEC DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

 Lideranças sindicais e de movimentos sociais criaram nesta quinta-feira (16/02) uma Frente Sindical e Popular de Luta Contra a Pec da Reforma da Previdência. A iniciativa ocorreu durante uma reunião realizada no Auditório da CUT Roraima, sob a coordenação do presidente do Sindsep Roraima, José Carlos Gibim, com a participação de lideranças de vários sindicatos e outras entidades da sociedade organizada. As lideranças presentes na reunião chegaram a um consenso: “Nada de emendas, a luta será para barrar a aprovação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional”.
Agora à tarde a Comissão da Frente já está reunida no mesmo local para traçar uma estratégia de ação para entrar na luta com o propósito de barrar a aprovação da chamada “Pec da Morte” que, segundo os sindicalistas, vai afetar negativamente a vida de todos os trabalhadores brasileiros. Várias ações serão planejadas com o objetivo de informar e alertar a população do perigo à vista. A Frente Sindical e Popular vai produzir farto material impresso para distribuir para o povo, esclarecendo ponto a ponto os efeitos negativos da reforma proposta pelo Governo Temer.
Inicialmente já existe duas manifestações públicas previstas para os próximos dias. Uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa do Estado, no dia 3 de março. E um grande Ato Público no Dia Internacional da Mulher (8 de março). O presidente do Sindsep Roraima, José Carlos Gibim, convoca os servidores públicos federais para participarem de todas as atividades programadas pela Frente Sindical e Popular. “Porque seremos todos afetados com essa Reforma da Previdência que eles querem fazer sem dialogar com a população”, concluiu.


MULHERES ATUANTES NA FRENTE SINDICAL E POPULAR
A reunião realizada no Auditório da CUT Roraima contou a participação de várias mulheres, que vão às ruas lutar contra a famigerada proposta de Reforma da Previdência. Entre elas estava a secretária de Imprensa do Sindsep Roraima, Maria Janice Coutinho (foto 1); a representante da Pastoral da Terra (foto 2); e a representante do NUMUR - Núcleo De Mulheres De Roraima (foto 3).
Essas guerreiras participaram da criação da Frente Sindical e Popular de Luta Contra a Pec da Reforma Agrária. Elas prometem fazer uma grande manifestação pública no Dia Internacional da Mulher (8 de março).
Parabéns a todas elas pelo exemplo de cidadania!




ENTREVISTA: GIBIM DESMENTE GOVERNO
Nesta quinta-feira pela manhã (16/02), no Auditório da CUT Roraima, o presidente do Sindsep Roraima, José Carlos Oliveira Gibim, em entrevista para a Rádio e TV Tropical, foi taxativo. Ele declarou que o Governo Federal mente quando fala em déficit da Previdência Social, para justificar a reforma do órgão, quando na realidade o que ele está fazendo é um desmonte da Previdência e, consequentemente, retirando direitos dos trabalhadores e penalizando a população brasileira com mais obrigações e sacrifícios.
Para Gibim, a povo está sendo enganado, com falta de informações sobre a propalada Reforma da Previdência. "Vamos pra rua lutar até o fim contra essa pseudo reforma proposta pelo Governo Temer", declarou. Vale ressaltar que Gibim é um dos coordenadores da recém criada Frente Sindical e Popular de Luta Contra a Pec da Reforma da Previdência, que promete fazer pressão e barulho em defesa da preservação dos direitos dos trabalhadores.
É isso aí, Gibim. "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer..."

Condsef/Fenadsef defende necessidade de levar debate sobre reforma da Previdência a todas as capitais e ao interior do Brasil

Debater a Reforma da Previdência em todas as capitais e no interior do Brasil
Onde houver um trabalhador a Condsef/Fenadsef e suas entidades filiadas também vão estar para promover debates e levar informação e esclarecimento sobre as falácias que usam para justificar os impactos perversos da PEC 287/16, da reforma da Previdência, que retiram direitos e tem potencial para atingir quase a totalidade da população brasileira.
 Assim, o secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, reforçou a defesa da necessidade de se levar o debate sobre a reforma da Previdência a todos os cantos do país. “Vai faltar poste nesse Brasil porque vamos levar ao conhecimento dos trabalhadores quem está votando contra nossos direitos”, destacou ele. 
Sérgio Ronaldo esteve entre os debatedores que compuseram a mesa da audiência que aconteceu na tarde de ontem na Câmara dos Deputados na Comissão Especial da reforma da Previdência.
Fonte: www.condsef.org.br

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Condsef/Fenadsef vai integrar audiências públicas que debatem reforma da Previdência

Condsef/Fenadsef vai integrar audiências públicas que debatem Reforma da Previdência
63 requerimentos de audiência estão aprovados. Trabalhadores devem apontar equívocos em tese de que Previdência é deficitária já que tem sua verba desviada inclusive para pagamento de juros da dívida pública
A Condsef/Fenadsef participa nesta quinta-feira, 16, na Câmara dos Deputados de audiência pública que deve debater a PEC 287/16. A PEC propõe uma reforma da Previdência que ameaça retirar direitos da classe trabalhadora. Uma comissão especial foi montada para discutir o assunto e já teve 63 requerimentos de audiência pública aprovados. 
Especialistas e estudiosos do tema alertam para as mudanças profundas que o projeto traz. Servidores estão entre os mais atingidos pela proposta. Entre os principais pilares que estruturam a Previdência que a PEC pretende alterar estão o aumento no tempo de contribuição e na idade para se aposentar, além de mudanças no cálculo do valor dos benefícios e forma de financiamento da Previdência.
Fonte: www.condsef.org.br

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Servidores se organizam para barrar investidas contra direitos da classe trabalhadora

Servidores se organizam para barrar investidas contra direitos da classe trabalhadora


 Para travar uma conjuntura extremamente desfavorável, a mais difícil dos últimos 30 anos segundo a avaliação de muitos representantes da classe trabalhadora, um trabalho intenso de mobilização está sendo feito. A Condsef participa de todas as movimentações que buscam organizar a classe trabalhadora para promover ações capazes de barrar as diversas investidas contra direitos adquiridos. 
A falta de trégua e também da ausência de diálogo no envio de projetos ao Congresso Nacional que mexem com temas com potencial para marcar pelo menos uma geração de brasileiros devem ser suficientes para garantir a adesão dos trabalhadores nas lutas que estão por vir. 
O Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) da Condsef já aprovou em suas resoluções a participação da entidade em todas as agendas de defesa da classe trabalhadora. 

Fonte: www.condsef.org.br
 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Governo federal quer impedir o direito de greve sem garantir direito à negociação coletiva

Servidores devem resistir à imposição de regulamentação que pode impedir direito de greve sem garantir direito à negociação coletiva 
 

Conduzindo um projeto de governo que não obteve sequer um voto da população brasileira e, portanto, sem legitimidade, Michel Temer anunciou nesta segunda-feira, 13, a intenção de encaminhar ao Congresso Nacional um projeto para regulamentar o direito de greve dos servidores públicos. Mesmo negando relação direta com o fato, o anúncio de Temer é feito num momento onde parte da sociedade está assustada com os desdobramentos de mobilizações de categorias como a de policiais civis que gerou uma crise no Espírito Santo e ameaça estourar também no Rio de Janeiro. Como trabalhadores policiais também devem ter assegurado seu direito legítimo de buscar melhores condições para cumprir suas funções. Não se pode admitir que mais uma vez o governo atropele os debates e imponha seus interesses amordaçando aqueles que exercem resistência e podem ser encarados como obstáculo ao avanço de projetos que retiram direitos da classe trabalhadora.
Leia mais...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Servidores públicos estão entre os principais afetados pela Reforma da Previdência

OS SERVIDORES PÚBLICOS ESTÃO ENTRE OS MAIS AFETADOS PELA PEC DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

A proposta traz mudanças profundas e ataca direitos de toda classe trabalhadora. Frente ampla deve ser consolidada para combater esses retrocessos.
Servidores federais também podem ter seus direitos atingidos pela PEC 287/16, que propõe uma Reforma da Previdência e foi enviada ao Congresso Nacional por um governo que não foi eleito legitimamente, num momento de enorme instabilidade. Para discutir essa proposta, representantes de diversas categorias tanto do setor público quanto privado, entre elas a Condsef, se reuniram em São Paulo essa semana para o Seminário Reforma da Previdência – Desafios e ação sindical. 

A PEC propõe alterar pilares que estruturam a Previdência e incluem o tempo de contribuição, idade mínima, cálculo do valor dos benefícios e forma de financiamento da Previdência. Com a mudança no financiamento, a PEC possibilita o incentivo à previdência privada, mas sem nenhum instrumento que garanta a preservação do patrimônio investido pelo trabalhador.
(Matéria imperdível na página da Condsef, não deixe de ler. Basta clicar no link abaixo para ver a bomba!)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Sindsep Roraima realiza reuniãos com servidores do Ibama

SINDSEP-RR REALIZA REUNIÃO COM SERVIDORES DO IBAMA
Presidente do Sindsep-RR, José Carlos de Oliveira Gibim
Nesta quarta-feira (8/02) pela manhã a Direção do Sindsep Roraima fez uma reunião com os servidores do Ibama na sede do órgão. Na ocasião o presidente do Sindicato, José Carlos de Oliveira Gibim, argumentou contra a Reforma da Previdência proposta pelo Governo Michel Temer.
Para ele, essa reforma, nos termos que está sendo colocada pelo governo federal, representa um dramático retrocesso nos direitos conquistados pelos trabalhadores brasileiros tanto do serviço público como da iniciativa privada.
No final da reunião, a servidora pública federal sindicalizada, Gleidis Souto de Moraes, foi eleita delegada o Sindsep no Ibama. A mobilização dos servidores do órgão foi feita pela Secretária de Comunicação do Sindicato, Maria Janice Silva Coutinho.

Delegada do Sindsep no Ibama, Gleidis Souto de Moraes
GLEIDIS SOUTO É A DELEGADA DO SINDSEP NO IBAMA
Na reunião que ocorreu na manhã desta quarta-feira (8/02) no Ibama, a servidora pública federal Gleidis Souto de Moraes foi eleita delegada do Sindsep naquele órgão.
Parabéns, Gleidis Souto, por seu engajamento na luta dos servidores federais em defesa de seus direitos.

Funcionária do Sindsep, Alcélia Barroso
ALCÉLIA & OS INFORMATIVOS DO SINDSEP
Participantes da reunião da Diretoria do Sindsep Roraima no Ibama: presidente do Sindicato, José Carlos de Oliveira Gibim; secretária de Comunicação da entidade, Maria Janice Silva Coutinho; e servidores públicos federais do Ibama, sindicalizados e não-sindicalizados.
A funcionária do Sindsep-RR, Alcélia Barroso, também esteve presente na reunião. Como sempre, controlou a assinatura da lista de presença dos participantes e distribuiu o "Informativo do Sindsep".
Além disso distribuiu mais dois panfletos: um com a lista dos convênios da entidade e outro com o endereço eletrônico do blog e da página do Sindicato no Facebook.

Emídio Santiago, Janice Coutinho e José Carlos Gibim
PRESENÇA DO SUPERINTENDENTE DO IBAMA
A Direção do Sindsep-RR fez uma ótima reunião no Ibama nesta quarta-feira, dia 8 de fevereiro, quando foi debatido a questão da Reforma da Previdência proposta pelo Governo Temer e foi eleito o delegado do Sindsep no órgão.
No final da reunião o superintendente do órgão, Emídio Nere Santiago Júnior, foi até o local do encontro cumprimentar o presidente do Sindicato, José Carlos de Oliveira Gibim.
Como eu disse, foi uma reunião boa, tranquila, com uma participação ativa dos servidores federais e teve um final feliz.
Parabéns, aos servidores do Ibama pelo exemplo de cidadania e engajamento político e social.

Servidores públicos federais do Ibama/RR
 



Condsef protocola pedido de reunião em todos os ministérios para retomar negociações com setores de sua base

Condsef protocola pedido de reunião em todos os ministérios para retomar negociações com setores de sua base 

 Entidade cobra debate e atendimento de pendências já firmadas em acordos entre 2015 e 2016

A Condsef vai protocolar nesta quinta-feira, 9/02, em todos os ministérios ofícios solicitando a retomada de negociações com setores de sua base. O objetivo é buscar soluções para pendências de acordos ainda não cumpridos e já firmados em processos de negociação com o governo entre 2015 e 2016. Nos ofícios a entidade enumera as cláusulas pendentes citando o Termo de Acordo em que estão registradas. Confira aqui o conteúdo do ofício que será direcionado a todos os ministros.

Fonte: www.condsef.org.br
Leia mais...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Presidente da Funai diz que quer ouvir servidores e lideranças indígenas

Presidente da Funai diz que quer ouvir servidores e lideranças indígenas para uma reformulação do órgão


O presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Antonio Fernandes Costa, recebeu na última sexta-feira, 3, representantes de entidades dos servidores do órgão, entre elas a Condsef, o Sindsep-DF e Ansef, para tratar de demandas específicas da categoria. Entre os temas abordados na reunião estavam a retomada das demarcações das terras indígenas, o corte de DAS em curso, desestruturação e precarização da Funai e o Plano de Carreira Indigenista (PCI). O enfrentamento de medidas legislativas em tramitação no Congresso Nacional e que ameaçam direitos indígenas e a própria Funai também foi abordado.
Fonte: www.condsef.org.br
Leia mais...