segunda-feira, 31 de agosto de 2015

SRT recebe servidores no dia em que Ploa segue para Congresso Nacional, mas o impasse continua

 SRT recebe servidores no dia em que Ploa segue para Congresso. Tentativas para destravar impasse em negociações continuam

Representantes do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) participaram de reunião na Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento, nesta segunda-feira, e formalizaram que a maioria da categoria voltou a rejeitar a proposta reapresentada pelo governo que aponta índice de 21,3% dividido em 4 anos (2016-2019). Também hoje o governo enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) 2016 (confira) para cumprir determinação legal. 

Há no projeto, de acordo com a SRT, a previsão para uma reposição de 5,5% para servidores, como prevê a proposta reapresentada pelo governo e rejeitada pela segunda vez pelos servidores. As entidades representativas dos federais dizem que a categoria está disposta a negociar, no entanto, o prazo de 4 anos é um complicador. 

O fato de o governo desconsiderar inflações passadas, a exemplo da inflação deste ano que já ultrapassa os 9%, também pesa contra a proposta que o governo quer impor. Há também o fato de que o governo está atrelando outros itens propostos à condição de aceitação do índice e prazo rejeitados.

Leia mais: www.condsef.org.br

Servidores da Saúde Indígena continuarão dentro da greve


SERVIDORES DA SAÚDE INDÍGENA CONTINUARÃO EM GREVE
Os servidores da Saúde Indígena estiveram reunidos hoje pela manhã (31/08) no Auditório do Dsei-Yanomami e decidiram continuarem na greve até o dia 11 de setembro. 


A decisão foi tomada depois que o vice-presidente do Sindsep Roraima, José Carlos de Oliveira Gibim, passou os informes da reunião da Condsef, que ele participou em Brasília na última sexta-feira. Lá a indicação foi que os servidores continuassem mobilizados para pressionar o governo federal a colocar emendas no Projeto de Lei Orçamentária Anual que foi encaminhada hoje ao Congresso Nacional.

Resumindo: os servidores públicos do Executivo Federal não aceitam assinar acordo de reajuste salarial de 21,3% em 4 anos. Isso para eles é dar a mão para a palmatória e as costas para a chibata, enquanto os colarinhos brancos ficam assobiando e cantando ao mesmo tempo, sem qualquer compromisso com a qualidade do serviço público federal.
Até quando assim será?!...



domingo, 30 de agosto de 2015

Maioria do Executivo reafirma rejeição a proposta de 21,3% em 4 anos

Maioria do Executivo reafirma rejeição a proposta de 21,3% em 4 anos reapresentada pela governo. Servidores buscam fim de impasse

A plenária nacional da Condsef, realizada nesta sexta-feira, em Brasília, confirmou o que já era esperado. A maioria absoluta dos representantes de 80% dos servidores do Executivo Federal reafirmou o não ao índice de 21,3% dividido em 4 anos, reapresentado pelo governo na quarta-feira a noite. 

Na proposta (veja aqui) encaminhada pela Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento há ainda o reajuste em benefícios como auxílio-alimentação, assistência à saúde e pré-escolar e mudanças na média dos pontos da gratificação de desempenho para fins de aposentadoria que sofreriam alterações também ao longo de 4 anos.  

No entanto, a condição para que sejam encaminhados é a de que todos os itens da pauta devem ser considerados. Ou seja, para garantir um é preciso aceitar o outro. Analisando todo o cenário, a maioria dos servidores decidiu permanecer mobilizada buscando o fim deste impasse no processo de negociações. Uma nova plenária nacional da categoria está agendada para o dia 10 de setembro.

Ler mais: www.condsef.org.br

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Maioria dos servidores Executivo Federal reafirma rejeição a proposta de 21,3% em 4 anos

Maioria do Executivo reafirma rejeição da proposta de 21,3% em 4 anos
 reapresentada pela governo. Servidores buscam fim de impasse

A plenária nacional da Condsef, realizada nesta sexta-feira, em Brasília, confirmou o que já era esperado. A maioria absoluta dos representantes de 80% dos servidores do Executivo Federal reafirmou o não ao índice de 21,3% dividido em 4 anos, reapresentado pelo governo na quarta-feira a noite. 

Na proposta encaminhada pela Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento há ainda o reajuste em benefícios como auxílio-alimentação, assistência à saúde e pré-escolar e mudanças na média dos pontos da gratificação de desempenho para fins de aposentadoria que sofreriam alterações também ao longo de 4 anos.  No entanto, a condição para que sejam encaminhados é a de que todos os itens da pauta devem ser considerados. Ou seja, para garantir um é preciso aceitar o outro. 

Analisando todo o cenário, a maioria dos servidores decidiu permanecer mobilizada buscando o fim deste impasse no processo de negociações. Uma nova plenária nacional da categoria está agendada para o dia 10 de setembro.

Leia mais: www.condsef.org.br

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Debate e doação de sangue no Hemocentro de Roraima

SERVIDORES FEDERAIS

DEBATE E DOAÇÃO DE SANGUE NO HEMOCENTRO DE RORAIMA

Nesta quinta-feira pela manhã (27/08), os servidores públicos federais em greve estiveram concentrados no Hemocentro de Roraima onde debateram os problemas da categoria, doaram sangue e fizeram cadastro para doação de medula óssea. 
Nos discursos dos grevistas ficou claro que eles não vão aceitar de cabeça baixa o golpe baixo do governo federal com a migalha de um reajuste salarial de 21,3%, parcelado em eternos quatro anos. 

O vice-presidente do Sindsep, José Carlos de Oliveira Gibim, que participou da ação no Hemocentro, levará a decisão dos servidores grevistas para a plenária nacional, que ocorrerá amanhã em Brasília.
Na segunda-feira, 31, ele voltará a se reunir com o movimento grevista em Boa Vista para repassar, detalhadamente, o que ficou acertado pelo fórum nacional dos servidores grevistas.

Parabéns aos servidores por esse gesto de amor e solidariedade.



Servidores federais vão rediscutir em plenária nacional proposta reapresentada pelo governo

Maioria dos servidores do Executivo rediscute em plenária nacional proposta já rejeitada e reapresentada pelo governo

Representantes de 80% dos servidores do Executivo Federal de todo o Brasil participam nesta sexta-feira, 28, de plenária nacional da Condsef que acontece em Brasília. 

A entidade que registra paralisações de atividades em 21 estados e no Distrito Federal de uma série de categorias coloca em discussão a proposta reapresentada ontem no final do dia pela Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento

A proposta não trouxe qualquer novidade e manteve o índice de 21,3% dividido em 4 anos, já rejeitado pela maioria absoluta dos servidores. Além de rediscutir a proposta reapresentada, a plenária deve apontar rumos e diretrizes para o processo de mobilizações já em curso.

Leia mais: www.condsef.org.br

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Nocaute fatal: hoje o Ministério do Planejamento bateu o martelo em 21,3% em 4 anos

NOCAUTE FATAL:
Ministério do Planejamento demora dias para reafirmar 21,3% em 4 anos, índice já rejeitado por toda categoria do Executivo Federal

A longa espera dos servidores por uma resposta do governo a uma proposta alternativa ao índice de 21,3% dividido em 4 anos e que mobiliza servidores em todas as regiões do País terminou na tarde dessa quarta-feira. O cenário de incerteza deu lugar a outro ainda menos animador e deve gerar uma onda de reações entre as diversas categorias do Executivo Federal. 
A Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento encaminhou um documento formal à Condsef onde reafirma o índice de 21,3% dividido em 4 anos (2016-2019). 
O governo não ouviu os apelos que pediam para que fossem consideradas as perdas inflacionárias já acumuladas pelos trabalhadores do setor público. Incluindo a inflação deste ano que já supera os 9% e não está sendo considerada na proposta reapresentada.

Leia mais: www.condsef.org.br

Servidores federais em greve vão doar sangue

SERVIDORES FEDERAIS EM GREVE VÃO DOAR SANGUE

Nesta quinta-feira, 27, o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef), que reúne 22 entidades representativas do conjunto de servidores das três esferas, vai realizar uma marcha de protesto em Brasília. O objetivo é cobrar do governo uma saída para o impasse instalado no processo de negociações com a categoria.
Enquanto isso, em Roraima, os servidores públicos federais em greve em Boa Vista vão passar a manhã toda concentrados em frente ao Hemocentro. Objetivo: doar sangue para salvar vidas. Essa ideia positiva e solidária foi apresentada e aprovada na reunião do Comando de Greve de vários órgãos federais, que ocorreu hoje pela manhã na sede do Sindsep Roraima, sob a coordenação do vice-presidente da entidade, José Carlos de Oliveira Gibim.
Vale ressaltar que a “Campanha para salvar vidas” foi apresentada pelos servidores do INSS. Contudo, também participarão desse gesto de amor os servidores grevistas da Saúde Indígena, Ministério da Saúde, Funasa, Superintendência de Administração do Ministério do Planejamento (Samp) e Procuradoria da Fazenda Nacional (PFN).

GREVISTAS DÃO A VIDA PARA SALVAR VIDAS
Conforme o lema do Hemocentro de Roraima “Doar sangue é um gesto de amor”. Para o vice-presidente do Sindsep, José Gibim, isso está bem dentro do espírito de luta dos servidores públicos federais em greve, que doam seu tempo, sua energia, sua coragem em defesa dos direitos da categoria no tocante a salários justos, melhores condições de trabalho, segurança e saúde para toda população brasileira. “Estamos no caminho certo”, concluiu. 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Servidores realizarão marcha em Brasília, nesta quinta-feira, para cobrar do governo o fim do impasse nas negociações

Servidores se unem em marcha nesta quinta, 27, para cobrar saída do impasse instalado no processo de negociações com governo

O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) que reúne 22 entidades representativas do conjunto de servidores das três esferas se une nesta quinta-feira, 27, em torno de uma marcha a Brasília. O objetivo é cobrar do governo uma saída para o impasse instalado no processo de negociações com a categoria. Nesse momento, os servidores federais esperam que o governo apresente uma proposta alternativa ao índice de 21,3% dividido em 4 anos que a maioria absoluta da categoria rejeitou. 

Uma das intenções do movimento é fazer com que sejam levadas em conta perdas salariais concretas, incluindo a inflação desse ano, que já está na casa dos 9% e o governo não está considerando em sua proposta para os servidores. Com diversas categorias com registro de paralisações e mobilizações em 21 estados e no Distrito Federal, a Condsef convocou para esta sexta, 28, uma plenária nacional de sua base.

Leia mais: www.condsef.org.br

Servidores respondem silêncio do governo com aumento das mobilizações

Servidores respondem silêncio do governo sobre alternativa a índice rejeitado pela maioria com aumento das mobilizações 
 
 Enquanto a Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento voltou a dizer nesta segunda-feira que ainda não tem uma resposta formal sobre alternativa a índice de 21,3% dividido em quatro anos, rejeitado pela categoria, servidores federais aumentam as mobilizações e paralisações que já alcançam 21 estados e o Distrito Federal (veja mapa acima).

Unidos aos servidores do Judiciário, INSS, professores e técnicos das Universidades, somam forças ao movimento de pressão dos servidores por um fim aos impasses instalados na mesa de negociações no Ministério do Planejamento servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Incra, Saúde Indígena, Funasa, INPI, Agricultura, Funai, Ibama, Iphan, Instituto Evandro Chagas, administrativos fazendários, da AGU e também da PRF, Sesai, Dnocs, Ipen e outros em todas as regiões do País.

Leia mais: www.condsef.org.br