sexta-feira, 17 de maio de 2019

Diretor da Executiva Nacional da CUT visita sindicatos em Roraima

Diretor da Executiva Nacional da CUT visita sindicatos em Roraima

Em destaque, presidente do Sindsep-RR, José Carlos de Oliveira Gibim



O diretor da Executiva Nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Donizete Silva, esteve esta semana em Boa Vista visitando e fazendo reunião com a direção dos sindicatos filiados à entidade. O objetivo dos encontros foi buscar soluções diante das dificuldades enfrentadas atualmente pelos trabalhadores com a retirada de direitos feita pelo governo federal.


Na manhã desta sexta-feira (17/05) a reunião ocorreu com a Direção do Sindsep Roraima. Participaram do encontro o presidente do Sindicato, José Carlos de Oliveira Gibim, o vice-presidente Gilberto Rosas, além dos demais diretores da entidade que defende os interesses dos servidores públicos federais no Estado de Roraima. 


Diversos temas foram abordados na reunião, contudo o foco da discussão girou em torno da luta dos trabalhadores contra a aprovação da Reforma da Previdência, que retira direitos e dificulta a aposentadoria das pessoas com menor poder aquisitivo.
Uma greve geral em defesa da Previdência Social e da aposentadoria dos brasileiros está marcada para o dia 14 de junho.

Em cartilha, Jurídico da Condsef esclarece dúvidas sobre Reforma da Previdência

Em cartilha, Jurídico da Condsef esclarece dúvidas sobre Reforma da Previdência



Com perguntas e respostas, Wagner Advogados Associados traz de forma didática informações para quem ainda tem dúvidas sobre os impactos da PEC 6/19 no direito à aposentadoria dos brasileiros e na ruptura com a Previdência Pública.

Uma pesquisa recente divulgada pelo Ibope mostrou que 31% dos brasileiros não conhecem o conteúdo da reforma da Previdência, e que 23% nem sabem que o governo apresentou modificações para regras das aposentadorias no Brasil. (Foto: Pixabay)

Um esquenta para a greve geral de 14 de junho

 Um esquenta para a greve geral de 14 de junho



Paralisação nacional dos professores em defesa da Educação e da Previdência Social. A Condsef/Fenadsef participou do ato, que é um esquenta para a Greve Geral de 14 de junho. (Fotos: Condsef/DR)



quinta-feira, 16 de maio de 2019

Milhares aderem à paralisação nacional dos professores contra cortes da Educação

Milhares aderem à paralisação nacional dos professores contra cortes da Educação



"Não vai ter corte, vai ter luta! O tsunami chegou!", gritaram os 50 mil manifestantes em defesa da Educação e da Previdência Social que foram para a frente do Congresso Nacional, nesta quarta-feira, 15. O protesto, um dos maiores vistos na capital federal nos últimos anos, marcou a paralisação nacional dos professores contra a restrição financeira das instituições públicas federais e deu uma prévia da Greve Geral que se aproxima, agendada para 14 de junho.

A fala dos manifestantes foi uma resposta à recente declaração de Bolsonaro frente às dificuldades enfrentadas pelo governo, resultado da mobilização e resistência da sociedade organizada. "Talvez tenha um tsunami na semana que vem", declarou a jornalistas na última sexta-feira, 10, sem explicar ao certo o que poderia ser. Os protestantes assumiram a responsabilidade. O tsunami é a fúria do povo que deseja um país justo. Dos Estados Unidos, Bolsonaro comentou sobre os protestos e chamou os manifestantes de "idiotas úteis". 

O Secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, que participou do ato em Brasília ao lado de diretores da entidade, irritou-se com a declaração de Bolsonaro. "Idiota é ele que fica lambendo botas de presidente estadunidense enquanto definha a educação do Brasil e tenta entregar nosso país para o setor privado. Ele não entende nada, não tem projeto digno para o País, é um ignorante, burro, e quem está sofrendo é a população. Mas o povo não vai deixar que ele desmonte nossos direitos conquistados", criticou.

Leia mais: https://www.condsef.org.br/…/milhares-aderem-paralisacao-na…

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Dia 15 de maio: Dia Nacional de Defesa da Educação

Dia 15 de maio de 2019: 

Dia Nacional de Defesa da Educação





Economistas denunciam Reforma da Previdência no Congresso e apontam alternativas

Economistas denunciam Reforma da Previdência no Congresso e apontam alternativas



Profissionais independentes e instituições atuantes na área das Ciências Econômicas se reuniram no Congresso Nacional nesta terça-feira, 14, para denunciar pontos contidos na proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo governo (PEC 6), que deve trazer consequências graves para a população mais vulnerável, segundo os especialistas. Durante o evento, realizado um dia antes da paralisação nacional dos professores, os economistas leram um manifesto em defesa da Previdência Social e refutaram argumentos do governo sobre supostos benefícios provenientes da mudança, caso a proposta seja aprovada.

"No ano passado, prometeram que a Reforma Trabalhista aumentaria a oferta de empregos, mas vemos hoje o oposto, o crescimento das taxas de desemprego. A Reforma da Previdência também não resolverá a crise do Brasil", comentou a economista Camila de Caso. O alerta de que a PEC 6 não contribuirá para a melhora do desenvolvimento e do bem-estar social foi reforçado nas falas de todos os profissionais presentes. 

Pedro Rossi, professor doutor do Instituto de Economia da Universidade de Campinas (Unicamp) e Diretor do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (Cecon), explicou que, quando o governo corta gastos em momentos de crise, os problemas se agravam, tendo-se em vista a queda do consumo das famílias, que diminui a arrecadação do próprio governo e gera uma situação crítica que se retro-alimenta. "O gasto do governo é o que mantém a economia aquecida. Todo 'gasto' feito pelo governo em algum momento retorna para ele", pois gera aumento do consumo familiar e viabiliza as arrecadações. 

Leia mais: https://www.condsef.org.br/…/economistas-denunciam-reforma-…

terça-feira, 14 de maio de 2019

Direção do Sindsep-RR faz visita a seis municípios do interior do Estado

Direção do Sindsep Roraima faz visita a seis municípios do interior do Estado

Município de Caracaraí

O presidente interino do Sindsep Roraima, Gilberto Rosas, acompanhado do Assessor de Imprensa e de uma funcionária do Sindicato, visitou seis municípios do interior do Estado entre os dias 8 e 11 do corrente mês. O objetivo da visita foi levar informações para os servidores públicos federais sobre assuntos de interesse da categoria. Gilberto Rosas adiantou que no final do mês a Direção do Sindsep-RR vai fazer visita aos municípios do sul do Estado.

Os principais assuntos tratados nas reuniões com os servidores federais foram aposentadoria, abono permanência, PSS, Progressão, PEC 95/16 (congelamento de investimentos no serviço público por 20 anos), Reforma Trabalhista, desemprego, arrocho salarial, cortes no orçamento das Universidades e Institutos Federais e, finalmente, Reforma da Previdência, entre outros temas. Ressaltamos que as dúvidas em torno das regras atuais da aposentadoria foram o destaque das reuniões.

MUNICÍPIOS VISITADOS


Os municípios visitados foram Iracema e Mucajaí, no dia 8; Normandia e Bonfim, no dia 9; Alto Alegre, no dia 10; e Caracaraí, no dia 11. Organizaram e divulgaram as reuniões os delegados Josué Alves de Araújo (Iracema), Ione Vera Moura da Rocha (Mucajaí), Mercia Luzia da Silva (Normandia), Carmem Lucia Marco de Freitas (Bonfim), Valdemar Costa (Alto Alegre) e Paulo Américo Sales (Caracaraí).

Gilberto Rosas agradece o apoio de todos que trabalharam na organização das reuniões, que ele considerou 100% produtivas. Além do Assessor de Imprensa, José Vilela, participaram das reuniões, alternadamente, as funcionárias Andrea Pacheco, Alcélia Barroso e Leila Barrozo. Fora o apoio logístico, elas também forneceram informações e tiraram dúvidas dos servidores e das servidoras federais.


Município de Iracema

Município de Mucajaí

Município de Normandia

Município de Bonfim

Município de Alto Alegre





Sindsep Amapá realiza 1º Seminário de Comunicação Sindical

Sindsep Amapá realiza 1º Seminário de Comunicação Sindical


 #ComunicaçãoSindical #ISeminário #SindsepAP

O seminário acontece nesse fim de semana, nos dias 17 e 18, no auditório do Sindsep-AP, entidade filiada à Condsef/Fenadsef, em Macapá. Confira a programação completa.

Para contribuir com as discussões foram convidados: Leandro Fortes da Agência Cobra Criada do Rio de Janeiro, Renato Rovai da Revista Fórum, Cláudia Giannotti do Núcleo Piratininga de Comunicação, que atua na comunicação sindical há vários anos e fechando o quadro de palestrantes, Rostan Martins, doutor em comunicação e semiótica pela PUC de São Paulo e professor efetivo da Universidade Federal do Amapá – Unifap.

As inscrições podem ser feiras pelo site: www.sindsep-ap.org.br, ou de forma presencial até a abertura do evento no auditório do Sindsep/AP localizado à avenida Almirante Barroso, 21, no centro de Macapá.

Leia mais: https://www.condsef.org.br/…/sindsep-ap-realiza-1-seminario…

Não existe combate a privilégios na Reforma da Previdência

Pedro Armengol:

"Não existe combate a privilégios na Reforma da Previdência"

Sindicalista Pedro Armengol critica a Reforma da Previdência

#ReformaNão #QueroMeAposentar #NãoPEC6

Leia o artigo completo de Pedro Armengol de Souza, diretor da Condsef/Fenadsef e da CUT, publicado nessa segunda-feira, 13, no Valor Econômico. Pedro faz críticas ao viés do combate a privilégios na reforma da Previdência.

"Enquanto tenta convencer a sociedade de que combate privilégios sem efetivamente os combater, o governo corre para aprovar uma reforma que, na verdade, propõe jogar a classe trabalhadora num modelo de capitalização, sem regras claras, e ainda retira da Previdência pública seu caráter de tripé social.

(...)
Há outras críticas que precisam ser consideradas. Para alguns servidores há um prejuízo principalmente com um injusto adiamento do direito de se aposentar que poderia impactar no tempo de serviço já que pela proposta da PEC 6/19 as regras de transição seriam todas desconsideradas. Além disso, há situações onde poderia haver o chamado confisco salarial com servidores podendo ser tributados em até 22%".

Leia mais: https://www.valor.com.br/…/nao-existe-combate-privilegios-n…

Nota de Desagravo: Entidades repudiam declarações do ministro Paulo Guedes

Nota de Desagravo:

Entidades repudiam declarações do ministro Paulo Guedes



Com Informações: Ascom/FONACATE
10/05/2019 às 10:07


O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta quinta-feira (9) Nota de Desagravo repudiando as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, durante audiência da Comissão Especial da Câmara que analisa a reforma da Previdência, onde questionou: “Qual é a função do funcionalismo público? Tomar conta das coisas públicas. Como é que pode? Some dinheiro, tem roubalheira, tem desvio, tem ineficiência, tem esse 
negócio todo. Cadê a turma que tinha que tomar conta?”.

No documento o Fonacate cobra retratação pública por parte do ministro Paulo Guedes.

Leia a nota na íntegra: http://fonacate.org.br/…/nota-de-desagravo-entidades-repu…/…