sábado, 30 de abril de 2016

Servidores da Cultura unem forças contra o PLP 257/2016

Servidores da Cultura unem forças contra o PLP 257/2016

Os servidores também vão unir forças a outras categorias na luta contra o PLP 257/2016. Desde que foi enviado pelo governo ao Congresso Nacional o projeto tem causado grande polêmica, pois atrela o alongamento da dívida públicos dos estados a condicionantes que retiram direitos de servidores e trabalhadores da iniciativa privada. Além de propor ações que podem enfraquecer ainda mais o serviço público, o PLP pretende interromper a política de valorização do salário mínimo, uma das maiores conquistas recentes da classe trabalhadora.

Leia mais: http://www.condsef.org.br/inicial/7256-2016-04-29-21-26-40

Servidores federais se mobilizam em defesa de políticas públicas da Cultura

Servidores se mobilizam para cobrar continuidade na execução de políticas públicas da Cultura 


Servidores do Ministério da Cultura (Minc) promoveram um encontro nacional da categoria esta semana na sede da Condsef, em Brasília. Representantes de seis estados (MG, RS, PE, BA, PB, SP) e o Distrito Federal debateram a situação do país, as crises política e econômica, e os riscos na interrupção de políticas públicas voltadas para a cultura. 
Notícias veiculadas por diversos meios de comunicação dão conta de que, em um eventual Governo Temer, o Minc poderia ser conjugado ao Ministério da Educação. Os servidores da Cultura concordaram que é necessário ampliar a mobilização em defesa da manutenção e fortalecimento de políticas públicas voltadas para a cultura. 
Um dia nacional de luta na primeira quinzena de maio foi apontado para incentivar a categoria a ampliar movimentos de resistência e em defesa do setor.
Leia mais...

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Campanha on line pela retirada imediata do PLP 257/2016

CAMPANHA ON LINE PELA RETIRADA IMEDIATA DO PLP 257/2016 


O PLP 257/2016, enviado pelo governo ao Congresso Nacional, propõe o alongamento da dívida pública dos estados, mas impõe condicionantes que retiram direitos de trabalhadores dos setores público e privado. O projeto dá força para instalação de uma política de Estado Mínimo que enfraquece cada vez mais os serviços públicos a que a população tem direito. Além disso, no PLP 257/16 também está prevista a interrupção da política de valorização do salário mínimo, uma das maiores conquistas recentes da classe trabalhadora. É preciso que o Congresso Nacional retire imediatamente esse projeto de pauta já que é possível alongar a dívida dos estados preservando o direito dos trabalhadores. 

Condsef promove encontros de nove setores de sua base nos dias 13 e 20 de maio

Condsef promove encontros de nove setores de sua base nos dias 13 e 20 de maio 
 
A Condsef enviou nessa quinta-feira para suas entidades filiadas convocatórias para encontros de nove setores de sua base. Os encontros setoriais vão ocorrer nos dias 13 e 20 de maio.
No dia 13 se reúnem representantes dos servidores dos Ex-Territórios, da Ciência e Tecnologia, da Area Agrária e Aposentados e Pensionistas. No dia 20 de maio promoverão seus encontros representantes dos servidores de Infraestrutura, Anistiados, Civis de Órgãos Militares, Area Ambiental e Administrativos Fazendários.
Além de debater a complexa conjuntura econômica e política, os servidores terão a oportunidade de levantar prioridades específicas de cada categoria, além de traçar ações para buscar cumprimento de acordos já firmados e avanços nos processos de negociações para temas de cada setor e que ainda não foram retomados.

Leia mais: http://www.condsef.org.br/inicial/7254-2804-condsef-promove-encontros-de-nove-setores-de-sua-base-nos-dias-13-e-20-de-maio

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Condsef debate agenda de resistência por direitos e pela democracia

Condsef debate agenda de resistência por direitos e pela democracia em CDE e Direção Executiva


Nos próximos dias 3 e 4 a Condsef realiza reuniões de seu Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) e Direção Executiva. A conjuntura complexa com uma crise política e econômica acentuada deve permear os debates desses encontros. Os representantes da maioria dos servidores do Executivo devem discutir e reforçar a participação nas atividades já agendas em defesa da democracia, contra retrocessos e ataques aos direitos da classe trabalhadora. 
O dia 1º de maio será palco para atos de resistência em todo o Brasil. Em São Paulo haverá uma assembleia nacional da classe trabalhadora e dos movimentos sociais onde será votado e definido um calendário de lutas e próximas ações que busquem retirar o país de uma crise profunda e generalizada. 
A CUT e suas filiadas também aprovaram a realização de um dia nacional de paralisação no próximo dia 10 de todos os setores produtivos. Veja aqui resoluções de reunião ampliada que a CUT promoveu ontem, em São Paulo, com todas as suas filiadas e ramos.
Leia mais...

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Página do Sindsep Roraima no Facebook

Página do Sindsep Roraima no Facebook

Sindsep-RR (Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Roraima)

Endereço eletrônico: https://www.facebook.com/Sindsep-Roraima-203835673093572/?ref=bookmarks#


Condsef: apoio à Dilma pode contar com paralisação nacional da classe trabalhadora

Condsef: resistência a golpe contra democracia pode contar com paralisação nacional da classe trabalhadora 
 
 
CUT vai entregar plano de emergência a presidente Dilma Rousseff para combater crise que inclui retirada do PLP 257/16 do Congresso Nacional, alteração na tabela do Imposto de Renda e reforço de programas sociais


Reunidos em São Paulo nesta terça-feira, representantes de todos os ramos da classe trabalhadora filiados à CUT discutiram ações para tentar barrar o golpe à democracia em curso no Brasil. A resistência inclui a organização de uma paralisação nacional dos trabalhadores das iniciativas pública e privada. 

No dia 10 de maio todos os setores produtivos do país devem parar contra o programa “Uma ponte para o futuro” já anunciado em caso de Michel Temer assumir a Presidência. O programa propõe ações com retirada de direitos e arrocho em setores estratégicos que podem ser catastróficas e já foi severamente criticado por especialistas de diversas áreas.

Para a maioria da classe trabalhadora, a presidente Dilma tem legitimidade para cumprir seu mandato até 2018. Por isso também, o próximo dia 1º de maio será emblemático na defesa da democracia.
Leia mais...

terça-feira, 26 de abril de 2016

Resistência da classe trabalhadora em defesa de seus direitos

Resistência da classe trabalhadora em defesa de seus direitos
A classe trabalhadora está completamente mobilizada em torno dessa crise política que ganhou proporções catastróficas e pode afundar ainda mais o país na crise econômica que já vinha sendo um desafio para os trabalhadores. Sem ter qualquer relação com as consequências desse cenário, é exatamente a classe trabalhadora aquela que surge como principal prejudicada neste processo. Como não poderia deixar de ser, a resistência em defesa de direitos e contra retrocessos já vem acontecendo e deve aumentar. Entre as opções de enfrentamento a este processo de ataques está a manutenção permanente das mobilizações e atividades de rua em todo o Brasil.
 As centrais já estão convocando os trabalhadores para um grande ato de resistência no dia 1º de maio. A Condsef e suas filiadas estarão em todas essas ações. Uma greve geral da classe trabalhadora dos setores público e privado também não está descartada. Todos os esforços são essenciais para buscar barrar os retrocessos e incertezas que ameaçam a classe trabalhadora.

Leia mais:  http://www.condsef.org.br/inicial/7241-2016-04-25-22-10-39

Condsef vai a São Paulo para reunião com todas as filiadas à CUT

Condsef vai a São Paulo para reunião com todas as filiadas à Central Única dos Trabalhadores


 O secretário-geral da Condsef, Sérgio Ronaldo da Silva, vai a São Paulo onde participa nesta terça-feira, 26, de reunião convocada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) com participação de todas as suas filiadas e ramos da classe trabalhadora. Representando a maioria do conjunto dos servidores do Executivo Federal, a Condsef vai levar a preocupação de mais de 800 mil com as incertezas trazidas pelo cenário de crise econômica e política.
Além do PLP 257/16 que prevê alongamento da dívida dos estados e pode impor uma profunda reforma administrativa que afeta direitos e fragiliza o serviço público, os servidores federais estão atentos aos projetos que são fruto de negociações feitas com o governo no ano passado. Entre os itens mais esperados estão mudanças em regra que garante a média dos últimos cinco anos das gratificações para fins de aposentadoria. Os projetos ainda preveem reajuste de 10,8% em dois anos (ago/16 e jan/17) – já bem abaixo da inflação – para quase 90% das categorias.

Leia mais:  http://www.condsef.org.br/inicial/7241-2016-04-25-22-10-39

sábado, 23 de abril de 2016

Servidores da Saúde propõem reunião ampliada para debater e barrar PLP 257/16

Servidores da Saúde propõem reunião ampliada para debater e barrar PLP 257/16


Mais de 80 representantes dos servidores da Saúde (MS, Funasa e Sesai) de 21 estados (AM, AP, BA, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RO, RR, RS, SC, SP, TO) e o Distrito Federal, se reuniram no dia 19, em Brasília. O encontro nacional da categoria aconteceu na sede do Sindsep-DF, filiado à Condsef. 
Os temas das crises política e econômica ganharam atenção especial já que tem potencial para comprometer a pauta reivindicatória e trazem insegurança ao cenário de avanços que precisam e vão continuar sendo buscados. 
Entre as decisões do encontro está o envio pela Condsef de solicitação à CUT Nacional para que se convoque uma reunião ampliada com servidores das esferas Federal, Estadual e Municipal para debater estratégias contra o PLP 257/16.
Leia mais...