segunda-feira, 23 de abril de 2018

Governo Temer vai deixar servidores do “carreirão” sem reajuste até 2020

Governo Temer vai deixar servidores do “carreirão” sem reajuste salarial até 2020
 
Presidente do Sindsep Roraima, José Carlos Gibim
Neste final de semana os homens do presidente Michel Temer ameaçaram nocautear de vez os servidores públicos federais, deixando os servidores do “carreirão” sem reajuste salarial até 2020. O presidente do Sindsep Roraima, advogado José Carlos de Oliveira Gibim, reagiu à notícia veiculada na imprensa nacional e disse que vai mobilizar a categoria para cobrar dos parlamentares federais uma reação a esse projeto maquiavélico no Congresso Nacional.
De acordo com o Ministério do Planejamento, não está previsto aumento no próximo ano. Os servidores das carreiras do Plano Geral de Cargos do Poder Executivo (PGPE) e a carreira da Previdência, Saúde e Trabalho (PST), entre outros, que compõem o chamado “carreirão”, não receberam reajuste salarial em 2018 e ficarão sem reajuste em 2019.
Prova disso é o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2019, enviado ao Congresso Nacional no dia 17 do corrente mês, que prevê reajuste apenas para a elite do funcionalismo do Executivo. Entre os agraciados estão auditores da Receita Federal, funcionários do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e analistas do Tesouro Nacional.
José Carlos Gibim afirmou que a Direção do Sindicato vai cobrar do líder do governo, senador Romero Jucá, e dos outros parlamentares federais uma articulação política no Congresso Nacional em defesa dos direitos dos servidores públicos federais, já penalizados pelas reformas mirabolantes feitas à revelia pelo Governo Temer. 

quinta-feira, 19 de abril de 2018

A classe média brasileira se arrependeu do impeachment, mas finge que não

São Paulo — A classe média brasileira se arrependeu do impeachment, mas finge que não


É com essa avaliação que a filósofa Marilena Chaui abre o programa Entre Vistas, da TVT, apresentado pelo jornalista Juca Kfouri nesta terça-feira (17). O programa é exibido semanalmente às 21h, em São Paulo, pelo canal digital 44.1 – também pelo Youtube e Facebook. 

“É impossível que ela (a classe média) não veja todos os dias os resultados do governo Temer. Há essa percepção, mas ela é razoavelmente enrustida. Se você der visibilidade para o equívoco, a classe média recua. Acho que ela se deu conta de que foi um passo equivocado”, analisou Marilena Chaui. 

Durante quase uma hora de entrevista, a filósofa reconheceu estar preocupada com as eleições de outubro. Disse que em outros anos eleitorais, no mês de abril já se sabia com mais clareza quem eram os candidatos e quais eram as bases dos programas, situação oposta à de 2018, em que o cenário está “bagunçado" e a população ainda não pensa nas eleições. “Minha impressão é que houve uma devastação tão grande dos políticos e dos partidos, da credibilidade do Legislativo, que faz com que as eleições pareçam distantes ou nem possam acontecer.” 

Leia mais: http://www.redebrasilatual.com.br/…/de-modo-enrustido-class…

Maioria do Executivo se organiza contra avanço de política neoliberal

Maioria do Executivo se organiza contra avanço de política neoliberal que reduz setor público sem reduzir tributos 


O avanço de políticas neoliberais conduzidas e intensificadas a partir de 2016 por um governo ilegítimo a partir do afastamento de uma presidenta eleita pela maioria da população precisa ser freado. Nessa perspectiva, analisando o cenário de ataques à classe trabalhadora e o sucateamento do setor público, servidores da maioria do Executivo organizam resistência contra retrocessos.
Na última semana o Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) da Condsef/Fenadsef se reuniu em Brasília para debater conjuntura e organizar agenda de atividades que incluem a realização de uma Plenária Estatutária e encontros setoriais da maioria do Executivo. Estarão em debate pautas específicas e como cobrá-las em um cenário de um arrocho completo agravado pela Emenda Constitucional (EC) 95/16 que congela investimentos públicos por 20 anos.
Fará também parte da pauta a discussão de combate à política neoliberal que promove a redução do Estado e não vem acompanhada de uma discussão sobre reforma Tributária.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

A Condsef/Fenadsef apoia a "Chapa 2" nas Eleições da Capesesp

A Condsef/Fenadsef apoia a "Chapa 2" nas Eleições da Capesesp

Nos dias 17 e 18 de maio associados da Capesesp (Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da Fundação Nacional de Saúde) votam para eleger parte dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da entidade. A Condsef/Fenadsef está apoiando a Chapa 2 “Juntos em Defesa da Capesesp” composta por representantes da categoria.
Entre as propostas da chapa estão o fortalecimento da Capesesp com ampliação de rede assistida, a luta contra reajustes abusivos e por mensalidades viáveis, além da busca por revisão para que haja contribuição paritária. Confira a plataforma de propostas da Chapa 2.
Fique por dentro do passo a passo da votação. Não deixe de votar e fortalecer a representação dos trabalhadores no plano de autogestão da categoria e seus dependentes.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Retalhos da história da Nação Tupiniquim

RETALHOS DA HISTÓRIA DO PAÍS DA MAMATA

Dois livros-sátiras sobre as mazelas do Brasil da atualidade, ambientados num cenário mágico no tempo que os bichos falavam, no País da Mamata.
“O Profeta da Irreverência” (editado em 2017) é o segundo livro da saga do “Guru da Floresta” (2013), usado dois anos como leitura obrigatória no Vestibular da UFRR.
O autor, José Vilela, mato-grossense de nascimento e roraimense de coração, é jornalista apaixonado por literatura, tem 13 livros publicados e há 12 anos presta serviço como Assessor de Imprensa do Sindsep Roraima.
Contatos: jvm.autor@gmail.com e (95)99904.7379

Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas denuncia demissões e desmonte na Casa da Moeda

Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas denuncia demissões e desmonte na Casa da Moeda

Governo promove demissões e desmonte na instituição, que tem plena capacidade produtiva. Empresa vem sendo sucateada pelos golpistas, com prioridade ao capital estrangeiro e demissão de mais de 200 trabalhadores neste mês
A Casa da Moeda do Brasil (CMB) demitiu 212 funcionários por telegrama no início deste mês, reduzindo seu quadro para cerca de 2.100 trabalhadores. O Sindicato Nacional dos Moedeiros denuncia que as dispensas foram discriminatórias e desrespeitosas, porque vários não receberam o comunicado pelos Correios e compareceram ao trabalho normalmente.
Fonte: Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas
publiccomite@gmail.com

terça-feira, 10 de abril de 2018

Oficina de escrita criativa

UM LIVRO QUE TODO PROFESSOR DE PRODUÇÃO DE TEXTOS DEVERIA CONHECER E ABRAÇAR


"Oficina de escrita criativa - Escrevendo em sala e publicando na Web" é uma obra que tem como proposta auxiliar o professor na tarefa de levar seus alunos a produzirem textos mais significativos e em um ambiente que permita a criatividade, a espontaneidade e a autoconfiança para escrever e proporcionar momentos de escrita criativa, que desobstrua medos e inseguranças.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Defesa de nossos direitos democráticos é prioridade e urgente

Defesa de nossos direitos democráticos é prioridade e urgente


Num momento de grave crise institucional, onde estão ameaçados nossos direitos mais básicos, devemos reagir.

A Condsef/Fenadsef acompanha com grande preocupação os acontecimentos dessa semana que apontam para a prisão do ex-presidente Lula. Nessa mesma semana, o Congresso Nacional confirmou, por 21 votos, o veto presidencial 44 que negou o direito a regulamentação da negociação coletiva para servidores públicos. 

Com esta decisão, mais de 10 milhões de servidores seguirão sem o reconhecimento desse direito referendado pela Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) assinada pelo Brasil. Como será o cenário em que não há reconhecido o direito a negociar, com uma Emenda Constitucional (EC) 95/16 que congela investimentos públicos por 20 anos? Precisamos reagir.

Historicamente posicionados na defesa dos direitos dos servidores, dos serviços públicos, da classe trabalhadora e da população brasileira, estamos também em vigília, ao lado de milhares de brasileiros, da sociedade civil organizada, representantes políticos, das centrais sindicais, dos movimentos sociais: todos unidos na defesa de nossa democracia.

Fonte: https://www.facebook.com/condsef/

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Condsef/Fenadsef apoia chapa de trabalhadores para conselhos da Capesesp

Condsef/Fenadsef apoia chapa de trabalhadores para conselhos da Capesesp


Eleição acontece em maio. Fortalecimento do plano, mensalidade viável e revisão de contrapartidas entre servidores e governo estão entre propostas da Chapa 2.

Fonte: https://www.facebook.com/condsef/photos/a.304790429578669.70626.216302945094085/1788568597867504/?type=3&theater

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Câmara Federal nega direito a negociação coletiva para servidores públicos

CÂMARA FEDERAL NEGA DIREITO A NEGOCIAÇÃO COLETIVA PARA SERVIDORES PÚBLICOS


Por 21 votos, Câmara confirma veto 44 e nega direito a negociação coletiva para servidores públicos.

Os 236 votos de parlamentares contrários ao veto não foram suficientes. 69 deputados votaram sim. Saiba quem votou contra o direito de mais de 10 milhões de servidores. 

Mais em http://www.condsef.org.br/inicial/7794-2018-04-04-20-44-28